Linhas de Cuidado em Neurologia e saúde do idoso são temas de evento no Rio

Dr. Daniel Paes, Diretor-técnico da Sinapse, abriu as palestras com o tema "Cuidados na fase de agravo"

A Clínica Sinapse e a UNIDAS – União Nacional das Instituições de Autogestão em Saúde – realizaram, na terça-feira (14/03/2017), no auditório do Banco Central, o evento “Linhas de cuidados em neurologia e saúde do idoso”, que atraiu gestores, médicos e profissionais da área de saúde. Foram quatro palestras ministradas por especialistas em problemas neurológicos nos idosos, os quais abordaram os temas da prevenção, educação, cuidados na fase de agravos e na reabilitação destes pacientes.

Dr. Charles André, Professor Associado de Neurologia da UFRJ e sócio-diretor da Sinapse, palestrou sobre “Cuidados em prevenção e educação em comunidade”, tratando da importância do controle dos fatores de risco em doenças não transmissíveis crônicas, como AVC, câncer, depressão, demências etc (responsáveis por praticamente metade das mortes no mundo). O professor destacou o fato de que, nos países com pouco desenvolvimento, há um número desproporcional de mortes por estas doenças antes dos sessenta anos, chegando a quase metade, comparado a menos de 30% nos países ricos. De acordo com o especialista, todas essas doenças têm fatores de risco em comum, que podem ser obesidade, diabetes, tabagismo e consumo de álcool. Assim, o Brasil firmou um compromisso com a OMS, chamado “Plano 25-25”, para reduzir em 25% a mortalidade dessas doenças nos próximos 25 anos. “Os desafios são muitos no país e englobam não só o governo, mas toda a sociedade, principalmente no aspecto de financiamento e gerenciamento coerente de todas essas intervenções”, complementou Dr. Charles.

Em seguida, o médico neurologista Dr. Daniel Paes Santos, diretor-técnico da Sinapse, abordou, em sua palestra, os “Cuidados na fase de agravo, explorando e reconhecendo os limites terapêuticos”. Paes falou sobre o impacto das linhas de cuidado na saúde do idoso, proporcionando um melhor desfecho clínico e uma maior racionalização dos custos. O neurologista defendeu uma visão mais holística do tratamento e a importância de um cuidado ao paciente que vai desde a prevenção primária às doenças neurológicas, tratamento na fase aguda, a reabilitação e a reintegração do idoso na sociedade. Paes ressaltou, ainda, a realidade sombria do Brasil: o alto nível de dependência de terceiros dos idosos que saem do hospital, após um Acidente Vascular Cerebral (AVC), ficando restritos e sem acesso a um processo de reabilitação bem feito. ”Com a transição demográfica que o país está vivendo, com um grande aumento da população idosa, a alta dependência de terceiros por parte dos idosos se traduz em uma grande preocupação para a saúde pública brasileira”, informou o médico.

O fisioterapeuta Manuel Lopes ministrou a palestra “Cuidados na reabilitação e reintegração na comunidade”, revelando que uma reabilitação adequada pode trazer benefícios pós-hospital e uma integração na comunidade de maneira mais efetiva. O fisioterapeuta mostrou que é preciso ter uma avaliação funcional do paciente, usando escalas de independência funcional para poder traçar as melhores estratégias de reintegração de cada paciente na comunidade após a saída do hospital. Lopes destacou o fato de que, muitas vezes, o maior empecilho e fator determinante para não integração do idoso na sociedade após um AVC é a capacidade aeróbica diminuída, acompanhado por uma falta de motivação, e não tanto a falta de coordenação ou outras sequelas decorrentes do agravo, nas quais, tradicionalmente, essa reabilitação era concentrada. “Mesmo com déficit motor, melhorando o condicionamento desse paciente a reintegração vai ser mais rápida e efetiva”, comentou o fisioterapeuta.

A quarta palestra do dia foi ministrada pela Dra. Renata Aranha, médica e diretora do Instituto Berkeley, com o tema “Capacitação em linhas de cuidados em neurologia: da simulação à realidade”. A especialista abordou as etapas que compreendem o processo de capacitação profissional e de que forma uma capacitação adequada pode influenciar nas performances destes profissionais. Além disso, ela mostrou como o processo de treinamento dos profissionais pode ser realizado no contexto de salas virtuais, novas tecnologias e como como isto é eficaz na elaboração de protocolos médicos.

Paes, palestrante e representante da Clínica Sinapse, uma das idealizadoras do evento, avaliou as palestras como muito positivas para aproximar de gestores da saúde temas importantes relacionados aos processos de linhas de cuidados ao idoso, com o intuito de aumentar a capacidade de percepção e os cuidados no tratamento desses pacientes.

Dr. Daniel Paes Santos, Diretor-técnico da Sinapse, abordou o tema ”Cuidados na fase de agravo”

 

Dra. Renata Aranha, médica e diretora do Instituto Berkeley, quarta palestrante do dia trouxe o tema “Capacitação em linhas de cuidados neurológicas''
Dra. Renata Aranha, médica e diretora do Instituto Berkeley, quarta palestrante do dia trouxe o tema “Capacitação em linhas de cuidados neurológicas”

 

FullSizeRender-1
O fisioterapeuta Manuel Lopes ministrou a palestra “Cuidados na reabilitação e reintegração na comunidade”

 

Responda


O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *